A Criação do Homem/Mulher

 

No começo não havia o homem e nem a mulher, apenas um ser inocente que caminhava pelos campos. Este ser podia gerar vida por si mesmo, sem cooperação de outrem. Por isso ele era puro, casto, mas era também inerte e inconsciente.
 
Você não veria desejo em seus olhos, não eram capazes de decidir por si mesmos. A chama da vontade não ardia em seus corações e por este motivo eles não evoluíam, não avançavam em seu caminho.   
      
Chegou, porém, um tempo em que esses seres ganharam a chance de se tornarem conscientes e livres para escolherem e trilharem seu próprio caminho. Para isso eles precisariam de uma energia que lhes impelissem de seguir este caminho e um instrumento que lhes guiasse por ele.
 
Nesta época eles eram dotados de grande potência criadora e para que pudessem adquirir as novas capacidades indispensáveis em seu avanço, esse poder de criação foi dividido e metade dessa força foi retirada e colocadas em seu peito e cabeça.
 
Assim nasceu a mente e a vontade. A vontade trouxe o desejo de avançar e a mente era o mecanismo de ação para esse avanço.
 
Desse modo o ser que antes era apenas corpo e energia vital, agora também possuía mente e vontade ou desejo. Esta evolução, também trouxe uma mudança significativa no seu modo de criar a vida. Sua potência criadora, antes completa e autossuficiente para gerar a vida, agora fora drasticamente reduzida, (pela metade).
 
Antes dessa divisão a energia era binária com dois polos girando em si mesmos completando-se em uma nova e única força gerando assim uma nova vida, isto acontecia com mais ou menos frequência durante a vida desses seres, dependendo de sua capacidade energética.
 
Quando metade da energia geradora foi removida, para criação da mente e do coração, ela se tornou muito fraca no novo ser, incapaz de gerar vida por si só.
 
A solução encontrada foi criar dois tipos de seres, iguais em sua essência, mas diferentes em sua constituição energética. Os dois polos opostos da energia que girava em elipse dentro do corpo do antigo ser, foram separadas e cada um destes novos seres recebeu uma parte.
 
A energia criadora e a energia geradora.
 
Naquele momento nasceram o homem e a mulher. Ambos receberam um órgão de criação, e para criar uma nova vida eles se uniriam como um. O homem oferecendo a semente da criação e a mulher o terreno fértil para que a nova vida germine. Este novo ato para concepção da vida, os fez capaz de cooperar e olhar para o outro de um modo novo, o que trouxe bençãos e maldições ao mundo.
 
Assim receberam esses seres duas ferramentas poderosas que os permitiriam subir tão alto quantos os próprios Criadores.





0 comentários